No tempo em que víamos a cidade pela janela

Memória dos dias de isolamento

Por estes dias, em 2020, vivemos tempo singulares. As ruas de todo o Mundo fecharam-se em si mesmas e empurraram-nos para dentro das casas. Os abraços, as corridas, os rasgões nas calças e os jogos de futebol à chuva, ficam agora suspensos. Descobrimos novos recantos entre quatro paredes, dotes culinários que não imaginávamos ter, apercebemo-nos que quem cuida de nós, afinal, pode ficar dias a fio ao nosso lado e que até é bastante divertido brincar com o irmão mais velho. Descobrimos acima de tudo que aquilo que alimenta todas as nossas brincadeiras continua nas nossas mãos: a imaginação.

É vital documentar estes dias novos, fixar o que descobrimos em nós e nos outros. Inscrever na memória colectiva o que mudou nas cidades, nas pessoas e nas sociedades, para que um dia mais tarde, seja possível olhar para este período tão particular na historia recente e perceber até que ponto este regresso forçado ao recolhimento nos tornou ou não diferentes enquanto Humanidade.

“Hoje tenho 10 anos. Como olharei para estes dias quando tiver 30? Que importância vou dar nessa altura aos abraços, às corridas, aos rasgões nas calças e aos jogos de futebol à chuva?”

Proposta

“No tempo em que víamos a cidade pela janela”, é um objecto fílmico, dividido em 10 episódios curtos de 3 minutos cada, ou 1 episódio de 30 minutos, onde dois actores apresentam páginas de diários de 10 crianças entre os 8 e os 12 anos, que refletem estes dias de isolamento, a sua relação com a casa, com os seus, as suas descobertas e perdas. A forma como se reinventam em tempos de distanciamento Social.

Técnica

Stop Motion, que poderia ser traduzido por “movimento parado” é uma técnica que utiliza a disposição sequencial de fotografias diferentes de um mesmo objecto inanimado para simular o seu movimento. Chamamos a estas fotografias “quadros” e normalmente são tiradas de um mesmo ponto de vista, com o objecto sofrendo uma leve mudança de lugar, afinal é isso que dá a ideia de movimento. É uma técnica usada tanto em desenhos animados quanto em filmes com actores reais, esta técnica é bastante difundida no meio cinematográfico e há algumas décadas faz parte da rotina criativa de diversas pessoas em todo o mundo.


Realização e Direção de Arte: Mario Melo Costa
Direção de Actores e Dramaturgia: Marco Paiva
Sonorização: Miguel Lima Raposo
Elenco: Ângelo Torres, Barbara Pollastri, Carla Maciel, Crista Alfaiate, Marco Mendonça, Maria Jorge
Coprodução: Terra Amarela e RTP
Apoio Institucional: LU.CA – Teatro Luis De Camões